Últimos Posts

“Não-sabiismo”

MIRANDA SÁ (E-mail: mirandasa@uol.com.br)

“Nada no mundo é mais perigoso que a ignorância sincera e a estupidez consciente. ”  (MARTIN  LUTHER KING)

A matreirice de Lula da Silva criou uma doutrina: o “não-sabiismo”. Como uma onda, lavou os neurônios dos seus comparsas, levando consigo a ética, honestidade e a moral, deixando um rescaldo de cínica malandragem pouco inteligente.

Por que será que o espectro ideológico da esquerda populista nativa é inerente a incorporar, o cinismo à sua ideologia? Deixando a falsa filosofia de Marilena Chaui, o último e desmoralizado exemplo do “não-sabiismo” é do escritor Fernando Morais.

Para manter a sua cafetinagem da “esquerda bolivariana”, Morais quis hostilizar a independência lúcida do senador Cristovam Buarque devolvendo uma comenda recebida do governo do Distrito Federal, dada por Cristovam. E ficou só na provocação, pois “não sabia” que junto com a medalha deveria devolver também o prêmio em dinheiro que recebeu…

Deve sentir-se orgulhoso em imitar o chefe Lula que “não sabia” dos roubos na Petrobras, do Mensalão, do Petrolão, da Odebrecht, da OAS do “tríplex” do Guarujá ou do Sítio Santa Bárbara. Diz agora que “não sabia” das maracutaias de Rose Noronha, sua amiga íntima.

A honestíssima gerentona Dilma Rousseff, criada por Lula, e vendida ao povo como especialista em eletricidade e petróleo, “não sabia” da Eletrobrás, de Belo Monte, de Pasadena. Os dois, aliás, como escreveu um articulista, jogam um tênis de mesa olímpico baseado no “não sabia”.

Lula “não sabia” que fez o amigo Bumlai de trouxa; Dilma “não sabia” da sabidona Erenice; Lula “não sabia” do João Santana, Dilma “não sabia” do Paulo Bernardo, Lula “não sabia” do Palocci, Dilma “não sabia” do Edinho…

Não sei se os dois perdem ou ganham nesse jogo infame. Sob o cutelo da olímpica Lava Jato – processo de faxina a corruptos, elogiado e invejado em todo mundo, inclusive nos Estados Unidos – esses atletas do absurdo deveriam ser condenados pelos seus partidários, pelo menos criticados por eles.

Que nada. O descrédito deles não alcança o fanatismo. Deveria ter ocorrido na época em que Joaquim Barbosa julgava o Mensalão, que se tornou uma arrasadora desmoralização do Partido dos Trabalhadores, com seus dirigentes condenados e presos.

Nas redes sociais corre um trocadilho substituindo a palavra militantes por militontos, sem dúvida uma alusão aos apoiadores do nãosabiismo. Os militontos fazem a defesa da bandidagem a ponto de nomeá-los “heróis”, com a facilidade com que os Castro em Cuba e os chavistas na Venezuela admitem o culto da personalidade stalinista.

Entre nós brasileiros, essa embriaguez de ‘non sense’, para não dizer de cretinismo, se acolhe no lençol da desmoralização de Lula, de Dilma e do Partido dos Trabalhadores. Lênin escreveu que “a religião é o ópio do povo”; e nós perguntamos, qual é a droga que intoxica os lulo-petistas?

Estamos assistindo no Brasil o avesso do avesso na esquerda capenga: o seu socialismo se resume na distribuição de esmolas para a pobreza, apoio a ditadores africanos e latino-americanos, enriquecimento espúrio da hierarquia do PT e o desprezo pela nacionalidade.

Descoberta a roubalheira desenfreada em todos os setores do PT-governo, o lulo-petismo está baratinado, sem argumentos para defender o indefensável: os crimes cometidos por Lula como chefão da organização criminosa e o impeachment de Dilma, exigido por 83% dos brasileiros.

Com raras e honrosas exceções, a autodenominada “esquerda” escolheu a corrupção, em nome de um vago socialismo das mamatas para as lideranças, e avassaladora propaganda mentirosa para iludir incautos.

Os mamadores, sem assumir a desonestidade do PT fazem a agitação em defesa dos próprios privilégios; mas os patriotas de todos, ou sem partido, estão vigilantes exigindo o impeachment de Dilma e a prisão de Lula.

Curiosidades Olímpicas

Em Moscou, em 1980, Maria Caridad Colón ganhou a Competição de dardos e Tornou-se uma Primeira mulher cubana a conquistar o ouro olímpico.

Curiosidades Olímpicas

Em Berlim, 1936, Dora Ratjen ficou em quarto lugar no salto a distância. Em 1938, confessou, na realidade, era um homem chamado Hermann Ratjen e que os nazistas o obrigaram a se passar por mulher.

Curiosidades Olímpicas

As mulheres não podiam participar das Olimpíadas da Antiguidade, mas Kyniska de Esparta, filha do rei espartano, quebrou a regra e se tornou a primeira vencedora olímpica.

Ela ganhou a competição de carroças de quatro cavalos nas Olimpíadas de 396 a.C. e na de 392 a.C.

Curiosidades Olímpicas

Florence Griffith-Joyner foi uma atleta americana especialista em provas de velocidade. N Olimpíada de Seul, em 1988, ela conquistou três medalhas de ouro, uma de prata, e os recordes dos 100 e dos 200 metros. Pouco depois, com 29 anos de idade e no auge da carreira, aposentou-se das pistas e passou a dedicar-se à publicidade, teve uma marca própria de roupa e uma linha de bonecas chamada Flo-Jo. 

Lamentavelmente, ela morreu jovem, aos 38 anos.

Curiosidades Olímpicas

Naim Suleymanog´lu nasceu na Bulgária, mas se naturalizou turco. Ele é conhecido como “Hércules de bolso” , devido á sua baixa estatura (apenas 1,50 metro) e sua grande força. 

No halterofilismo, ganhou medalhas em três Olimpíadas e bateu, em uma noite, seis recordes mundiais e nove olímpicos . ( Poderoso menininho!).

Curiosidades Olímpicas

Nas Paralimpíadas, um atleta pode chegar em qualquer posição e ainda estabelecer um novo recorde mundial. Isso é possível devido a participação de esportistas com diferentes deficiências. Os recordes correspondem às suas respectivas classificações.

Curiosidades Olímpicas

Wilma Rudolph nasceu em 1940 e, quando criança, teve poliomielite, doença que a deixou paralisada durante anos. Ela conseguiu se recuperar e, com muito esforço, tornou-se a primeira americana a conquistar três medalhas de ouro na mesma Olimpíada. Essa façanha foi realizada em Roma, em 1960, no atletismo de pista. Ao regressar aos Estados Unidos, um desfile foi celebrado na sua cidade natal, Clarksville, do qual participaram negros e brancos em igual quantidade, algo que não era habitual.
A homenagem à “Gazela Negra” é recordada como o primeiro acontecimento mutirracial da cidade.

Curiosidades Olímpicas

Apesar de ser o país com mais troféus de Copa do Mundo (cinco ao todo), o Brasil nunca conquistou um ouro olímpico no futebol. A Seleção Brasileira disputou as finais das Olimpíadas em 1984, 1988, e 2012 e perdeu todas as partidas, respectivamente, para a França, a União Soviética e o México.

APLAUSOS

MIRANDA SÁ (E-mail: mirandasa@uol.com.br

“Andamos tão desencantados que ser decente parece virtude, ser honesto ganha medalha e ser mais ou menos coerente merece aplausos” (Lya Luft)

Recordo-me do Circo Casarin, de ciganos argentinos, que fazia temporadas ali na Avenida Presidente Vargas, perto do “Balança, mas não cai”… Nele exibia-se um cachorrinho com uma linda domadora com maiô de lantejoulas. Lulu – o cachorrinho se chamava Lulu – corria, dançava, pulava atravessando um arco e andava num carrinho de rolimã, avoengo dos skates de hoje.

O mais engraçado é que ao final, com as palmas da plateia, ele se ajeitava, como se sentasse, e batia palmas com as patas dianteiras.  A dona do bichinho, com um sotaque atravessado, dizia: “- “Pedir aplausos é coisa dele. Não lhe ensinei ele gosta disso…”

Todos artistas, principalmente os humoristas, se nutrem e se envaidecem com os aplausos. Há os que não conseguem interpretar para um público indiferente e silencioso.

Para os políticos, o aplauso é um veredito: Sua atuação é julgada pelos eleitores através de aplausos ou vaias… O sábio Nelson Rodrigues disse que “as vaias são os aplausos dos desanimados”.  O desânimo economizaria apupos negando votos aos ocupantes de cargos públicos através de eleição.

Uma expressiva maioria de brasileiros oferece essa demonstração de apoio aos condutores da Operação Lava Jato, policiais federais, promotores do Ministério Público e ao juiz Sérgio Moro. Agora, não regateia aplauso aos senadores que – ouvindo o clamor das ruas – votaram pela continuidade do julgamento da presidente afastada Dilma Rousseff.

Nada mais justo do que condenar uma governante que confundia o zelo pela coisa pública com arrogância, autoritarismo e suporte partidário. Não se pronuncia pelo impeachment apenas pelo crime de responsabilidade fiscal, o desprezo pelo Congresso e o desrespeito à Constituição.

Este é o processo. Mas a fração esclarecida da população vê o conjunto da maléfica condução administrativa, incompetente e leniente com a corrupção. Não dá para esquecer a responsabilidade de Dilma nos negócios escusos da Petrobras, principalmente a compra da Refinaria de Pasadena.

Como se há de tolerar a preservação de ministros propineiros, investigados e denunciados por desonestidade? Como se deve admitir a blindagem feita a Erenice Guerra, Mercadante, Gleise Hoffman?

Isto, falando apenas do desastrado e criminoso PT-governo; quanto ao seu partido, basta se confirmar a prisão de três tesoureiros e a suspeita sobre o responsável financeiro pela campanha da reeleição.

Pior do que isto, roubaram milhares de consciências impregnando pessoas de fanatismo, pondo o partido acima da Pátria, como se viu uma nadadorazinha declarar que não queria aplausos dos adversários do PT, renegando o juramento esportivo e derrotada por sua autossuficiência.

Com essas coisas, vê-se não apenas indícios ou as delações; está na cara como se diz na gíria, pois os desmandos gerais veem na esteira de uma organização criminosa chefiada por seu criador e tutor Lula da Silva, réu da Promotoria Geral da União, e quem a cidadania consciente pede a prisão pelos crimes cometidos.

Por decência, honestidade e coerência, queremos aplaudir o fim da impunidade. O povo brasileiro está mobilizado para se manifestar nas ruas e nas praças exigindo do Senado urgência para o impeachment de Dilma, e do STF o fim da impunidade, prisão para todos os corruptos.